quarta-feira, 13 de abril de 2016

Por que Dilma sofrerá o impeachment?



“Vivemos num mundo confuso e confusamente percebido”, exclamou certa feita o grande Milton Santos. Em um momento tão conturbado quanto o nosso, nenhuma frase parece calhar melhor. Nessa confusão que se formou, informações são distorcidas, leis são tolhidas e, sobretudo, o respeito ao próximo, ao indivíduo com opiniões diferentes, foi destruído e substituído pelo ódio. Sendo assim, o impeachment da presidenta Dilma e a derrocada do PT também são alvos dessa confusão, de maneira que, decidi tecer algumas palavras sobre o tema.

O governo petista ao assumir o governo federal em 2002 já tinha a estratégia pronta de como se manter no poder, ou seja, o plano já estava pronto para ser executado e como a hora havia chegado, cabia apenas colocá-lo em prática. Os petistas sabiam que vivíamos na sociedade de consumo, em que o indivíduo existe tão somente na medida em que consome, pelo menos é essa a mensagem que a mídia constrói e que as pessoas voluntariamente aceitam. Além disso, sabiam que a sociedade brasileira era extremamente desigual, cheia de discrepâncias sociais e, portanto, excludente, uma vez que o sucesso segundo essa sociedade é medido através do poder de compra do indivíduo.

Posto isso, o partido dos trabalhadores buscou, por meio dos projetos sociais, promover a inclusão social dos milhares de pessoas excluídos do hedonismo consumista. Desse modo, os indivíduos antes invisíveis, puderam aos poucos criar corpo perante a sociedade. Em outras palavras, na medida em que passaram a consumir, passaram a existir. Obviamente, que esses programas retiraram e retiram milhares de pessoas da miséria e deram alguma dignidade a pessoas que antes viviam em condições desumanas. Entretanto, o cerne da questão é que o sucesso do PT e a popularidade do ex-presidente Lula deveram-se a inclusão social a partir do poder de compra das pessoas, isto é, do cogito “Consumo, logo existo”.

A avaliação positiva do governo e a popularidade recorde do então presidente Lula estavam, assim, ligadas diretamente ao aumento exponencial do poder de consumo das pessoas, que antes se viam impossibilitadas de poder ter o “sucesso” proposto pelo mercado. Além dos programas de distribuição direta de renda, houve também a implementação de programas de incentivo ao ingresso nos cursos técnicos e nas faculdades, a fim de proporcionar não apenas o aumento no grau de escolaridade do brasileiro, que inegavelmente melhorou, mas, sobretudo, aumentar o poder de compra das pessoas mais uma vez.

Ou seja, todas as medidas tomadas pelo governo do PT se destinaram a proporcionar a inclusão social através do consumo, já que as pessoas que compunham o partido sabiam que essa era a lei do mercado e que a forma mais fácil de perpetuar-se no poder seria por meio de medidas que coadunassem com a ordem estabelecida. Sendo mais claro, o PT em momento algum pensou em melhorar e desenvolver o país, mas, tão somente em se manter no poder, mesmo que isso custasse a sua ideologia e beneficiasse setores da sociedade que só se preocupam com pessoas da sua classe social.

Desse modo, o PT aproximou-se muito mais de uma ideologia de mercado que do pensamento de esquerda, ao contrário do que muitos “inocentes” falam. Todos os mecanismos que foram criados ou desenvolvidos tinham apenas o propósito de criar mais servos voluntários do sistema, pois na medida em que um governo é avaliado somente pelo critério econômico, isto é, pelo fato de eu ter ou não dinheiro no bolso, o poder de crítica está deturpado ou não existe. Fico com a segunda opção e mais uma vez o problema deve-se também ao PT, já que este teve a oportunidade de tentar promover a inclusão social por meio da educação, mas não o fez. E não o fez, pois era o caminho mais difícil de continuar a frente do governo federal.

Seria necessário investimento pesado e mais que isso, o desenvolvimento de uma educação crítica, humanística, que permitisse ao indivíduo criar o seu próprio conhecimento e desenvolver o seu senso crítico. Ao contrário disso, o PT preferiu investir em um modelo tecnicista, em que a educação segue uma linha teleológica, de forma que todo conhecimento deve servir necessariamente para ser aplicado em algo, para construir alguma coisa, isto é, o conhecimento deve ser robotizado e voltado apenas para o fim de ter bons funcionários executando a sua função na empresa, sem poder questionador, tendo como recompensa o salário, para que nas horas vagas possa comprar coisas para se divertir. Como a ideia do mercado (ratificada pelo PT) é de que quanto mais coisas eu tenho, mais eu me divirto; mais robotizado e tecnicista eu me permito ser para participar dessa “Disney World” como dizia Baudrillard.

Inegavelmente houve melhoras durante o governo petista e a ideia de promover a inclusão social era e é necessária. Todavia, mais do que ter boas ideias, é preciso executá-las de modo correto. Milhares de pessoas saíram da pobreza? Sim. Milhares de pessoas que antes nem sonhavam, hoje estão nas faculdades? Sim. Então, fazer avaliações extremamente negativas acerca do governo petista é falar com ódio, excluindo a razão. Mas, nesse jogo não há ovelhas e, portanto, todas as críticas supracitadas são verdadeiras e necessárias, pois o fato do PT ter acertado em alguns pontos não o torna isento de criticas, bem como, os seus próprios acertos devem ser questionados, como disse, uma vez que não devemos avaliar apenas o fim, mas também os meios utilizados para que esses fins fossem atingidos.

Assim sendo, o PT se afastou das pautas de esquerda e não promoveu uma verdadeira e correta inclusão social, através de uma educação humanística e crítica, que permitisse ao individuo compreender o meio em que vive, a realidade “sui generis” do nosso país e ter o discernimento necessário para não permitir ser ludibriado e explorado por uma classe que enxerga o menos favorecido apenas como algo verdadeiramente inferior e que deve ser dominado.

É sabido que não seria fácil fazer isso e que talvez não obtivesse sucesso, pois, infelizmente a maior parte das pessoas voluntariamente se deixa seduzir pelo mercado e dominar pelo sistema, de modo que dificilmente teríamos um governo petista hoje. Entretanto, se o partido dos trabalhadores fosse realmente um partido diferente, teria tentado agir do modo que de fato iria mudar o Brasil e não somente criar zumbis consumistas que não conseguem analisar outra coisa senão ter ou não limite no cartão de crédito.

Por tudo isso, a presidenta Dilma provavelmente sofrerá o impeachment e o PT será retirado do seu posto. Pior, pelas mãos dos sanguessugas corruptos que o próprio partido alimentou e com o clamor social de pessoas que aprenderam com o governo petista que governo bom é medido tão somente pelo volume da carteira, seja ele de esquerda, de direita, democrático ou ditatorial, pois na grande igreja do capital consumista, só é permitida a entrada de quem tenha algum “sacrifício” a oferecer.

14 comentários:

  1. Concordo e diria mais, no momento que o PT permitiu que boçais ouvintes de sertanojo, rapp, funk e outras imundícies tivessem poder aquisitivo para vomitar seus "gostos musicais" de forma violenta nos ouvidos da burguesia, ele gerou o ódio contra as massas inclusas e com isso alavancou os projetos dos abjetos "aristocrotos".
    Em vez de dar educação civilidade e dignidade, o PT se limitou a dar trivialidade, futilidade e promiscuidade!
    Não se dá o peixe, se ensina a pescar, não se dá o pão, se ensina a plantar e fazer o pão.
    E agora teremos que agasalhar a sucia mais abjeta possível, encabeçada pelo xerife de santos, pastante pastor degenerado e o nariz de pó.
    O melhor é sair dessa fossa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que nojo do seu comentário!

      Excluir
    2. Observemos do modo mais imparcial possível o seu comentário: 1- "(...)o PT permitiu que boçais ouvintes de sertanojo, rapp, funk e outras imundícies tivessem poder aquisitivo para vomitar seus "gostos musicais". Amigo, muitíssimo antes do PT todos esses gêneros já faziam grande sucesso, além de serem incentivados e divulgados pela própria mídia dominante.
      2. "[...] o PT se limitou a dar trivialidade, futilidade e promiscuidade". Veja bem: Contextualizar o que se diz, e observar o contexto em que as palavras são usadas pelos outros, é de grande ajuda na compreensão dos enunciados. Conceitos abstratos como trivialidade, futilidade e promiscuidade e outros de igual extensão de significado são constantemente provocadores de conflito, de confusão, que,, por não serem auto-explicativos, precisam de explicações adicionais. Como isso foi “distribuído” pelo PT? Exatamente a que vc se refere?
      3."Não se dá o peixe, se ensina a pescar, não se dá o pão, se ensina a plantar e fazer o pão." Na verdade para quem está faminto não se ensina nada. Por essa razão a ideia seria mais eficaz, se o senhor houvesse escrito que se dá o peixe E se ensina a pescar, dá-se o pão, E se ensina a plantar e a fazer o pão. Sendo que o PT parou na primeira opção.

      Excluir
    3. Exato Maria. Acredito que o nosso amigo tenha entendido a proposta do texto, embora tenha se descuidado com algumas colocações no comentário. Algumas palavras precisam estar bem colocadas e explicadas para evitar interpretações errôneas.

      Excluir
    4. Importantíssimo o texto de Erick e comentário de Rosa Maria.Porque assim,aprendemos a questionar e aprender um pouquinho de português, que é muito importante. O meu maior sonho era ver o projeto e a ética do PT sendo realizados em meu país, terra de tanta pobreza, tanto mental quanto material. Mas qual não foi meu espanto quando comecei a perceber o verdadeiro ideal(projeto) dos petistas!!! Simplesmente permanecer no poder, não dando as bases para uma educação eficiente e sem a mínima vontade de fazer as devidas reformas necessárias quando o "grande líder" tinha tudo, todo o poder pra fazer: Reforma política, tributária, educacional etc. etc. Meus sonhos foram morrendo... E qual não foi o espanto maior ao perceber que os sócios do PT não eram partidos ou políticos com ética, mas uma forte parceria com os mesmos políticos que o "PT-partido ético" denunciava como picaretas e corruptos da nação: Sarney's, Barbalho's, Renan's e Cunha's da nossa política!!!! Os mesmos que agora os levam ao cadafalso!!! Isso sem falar em Mensalão, Pasadena, Petrolão, etc etc... E para terminar, talvez a grande lição da trajetória PT é ter criado em jovens procuradores de justiça, na polícia federal e em um juiz idealista, a idealizada fundação da Operação Lavajato, a única que em 500 anos da nossa história, levou alguns ricos para a prisão, e não somente as secretárias e ladrões de galinha, como é o normal em nossa justiça. Apelo a todos os leitores que divulguem os fatos relevantes e a importância da Operação Lavajato para o bem do nosso país. Porque se ela sobreviveu até agora, foi em grande parte devido à pressão da mídia independente e da opinião pública.

      Excluir
    5. O que mais me assusta é saber que com o provável impeachment (acho muito difícil que não ocorra) o PT pagará a sua justa conta, mas os demais, tão corruptos quanto, ficarão impunes e não haverá bateção de panelas.
      Abraços!

      Excluir
  2. Gostei muito deste artigo, divulga uma análise do problema diferente das repetitivas notícias veiculadas pelos media que ou são de uma fação ou da outra e se limitam a acusar o outro de corrupto sabendo-se que todos estão sujos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Carlos! Infelizmente a nossa mídia é assim.

      Excluir
  3. Ótimo texto, Erick! Análise bem equilibrada e coerente. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Grata por existir e por conseguir não apenas olhar e ver, mas também reparar, ir além das entrelinhas.
    Há décadas eu me sinto entre a cruz e a espada neste País, porque ao mesmo tempo em que eu não estou de acordo com os que aí estão tomando conta do poder às custas dos enganados e usados consumistas da classe baixa, eu não aceito de jeito nenhum que eles sejam substituídos pelos sedentos de poder que serão mantidos aí pelos consumistas de classe média e alta. E, o que é pior, eu não vejo alternativa que nos dê ao menos esperança de que vá mudar esta maldita situação que nos faz cada dia mais escravaos e mantenedores cegos de uma sociedade doente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As reformas para uma nação melhor infelizmente não ocorrerão e a culpa é do próprio povo, seja de classe baixa, seja de classe alta, que querem ser apenas consumistas desenfreados e avaliam a política segundo a sua fome pela grande maçã chamada mercado.

      Excluir
  5. Prezado, Erick Morais. Boa reflexão. Compartilho a minha contigo:

    http://investigacao-filosofica.blogspot.com.br/2016/04/um-golpe-patologico.html#more

    ResponderExcluir